Registros: Mar 2015

O que diría um grafólogo da minha letra?

Alguns an√ļncios de trabalho solicitam, al√©m do CV, uma carta manuscrita e assinada. Nesse caso √© bem prov√°vel que, no processo de sele√ß√£o, exista a interven√ß√£o de um graf√≥logo.

A grafologia √© uma pseudoci√™ncia que pretende descrever a personalidade, aptid√Ķes, atitudes, motiva√ß√Ķes, emo√ß√Ķes e, inclusive, patologias a partir da an√°lise da escrita.

Abate Flandrin é considerado o pai da grafologia moderna, pois estabeleceu as primeiras regras.

S√£o v√°rias as √°reas de aplica√ß√£o da grafologia, como por exemplo a sa√ļde (grafoterapia), a justi√ßa (per√≠cia caligr√°fica), a doc√™ncia (avalia√ß√£o e orienta√ß√£o de voca√ß√Ķes) ou Recursos Humanos (sele√ß√£o de pessoal).

Nesse caso, mesmo que possamos adotar uma postura de ceticismo no relativo à validade das provas e sua análise, talvez seja conveniente conhecer alguns dos elementos que são considerados e sua interpretação.

Elementos a avaliar

A forma da letra:
Redonda conciliador
Angulosa enérgico, disciplinado

O tamanho da letra:
РMuito pequena conceito pobre de si próprio
РMuito grande necessidade de chamar a atenção

Linhas tortas demostram o estado anímico da pessoa
– Para cima otimista
– Para baixo pessimista

A coes√£o das letras
РUnidas predomínio de lógica, habilidades sociais
РSeparadas predomínio da intuição

A distribuição espacial do texto dentro da página. Denota a capacidade de organização da pessoa

A pressão da escrita dará uma ideia da determinação e o compromisso da pessoa

Os espaços em branco entre palavras, linhas e margens darão uma visão sobre a predisposição da pessoa a aceitar ou recusar as normas estabelecidas

√Č preciso destacar o tema da assinatura. Mesmo mantendo vivo o ceticismo sobre esta pseudoci√™ncia, √© dif√≠cil encontrar uma coisa que com t√£o pouco possa dizer tanto. Por√©m, trataremos este tema em um futuro post.
Ramón Rodríguez Lago
Dpto Organização Recursos Humanos ACCIONA S.A.

Treine suas competências base (III): Organização e Planificação

“N√£o basta ter bom talento, o principal √© aplic√°-lo bem”, Ren√© Descartes

Esta semana continuamos com uma nova Competência Base: Organização e Planificação. Se desejássemos assinalar a origem dos erros e fracassos que experimentam muitos projetos em seus processos terminaríamos não tanto em metas propostas ou estratégias incorretamente formuladas, mas na dificuldade para definir e finalizar os planos de implantação.

Com um bom plano, um que esteja bem organizado, será possível cumprir os prazos, usar da melhor maneira os recursos e ajudará a nos antecipar a possíveis problemas, antes que eles aconteçam. Em definitiva, teremos mais tempo para pensar no meio e longo prazo, e garantir o sucesso.

Esta compet√™ncia √© muito importante em organiza√ß√Ķes onde existe complexidade nos neg√≥cios, e que requerem da coordena√ß√£o de grande n√ļmero de pessoas, recursos e atividades, com o fim de implementar iniciativas e planos. Em consequ√™ncia, a rentabilidade das opera√ß√Ķes est√° muito ligada √† capacidade de planificar, organizar e controlar os recursos necess√°rios.

Uma pessoa que já desenvolveu esta competência, entre muitas outras, consegue:

Estabelecer objetivos e metas

Determinar exatamente a duração e dificuldade dos projetos

Detalhar o trabalho, com os prazos necess√°rios

Elaborar calendários e delegar tarefas em função dos recursos

Antecipar-se a possíveis problemas e preparar-se para seu tratamento

Medir o rendimento com base nos resultados

Avaliar os resultados alcançados

Tamb√©m √© importante assinalar que o excesso desta compet√™ncia pode ser um fator de limita√ß√£o e, inclusive, resultar prejudicial, levando a pessoa a depender de maneira excessiva de planos, normas, procedimentos e estruturas, e chegando a ser pouco flex√≠vel na hora de se adaptar a situa√ß√Ķes novas.

A experiência, o contexto e colocar em jogo outras competências, como as tratadas até agora nesta série de episódios, como o trabalho em equipe (hiperlink), conseguir resultados (hiperlink), são os faros e as dicas que nos levam a sermos organizados e planificados, como uma prática para o porto de destino.

Se você quer informação adicional, pode aprofundar no desenvolvimento desta competência em nosso Centro de Desenvolvimento de Candidatos.

 

José Miguel Baeza
Departamento de Formação Corporativa ACCIONA