A verdadeira liderança é aceitar a própria responsabilidade

Francisco Alcaide

Assinatura convidada: Francisco Alcaide Hernández

 

Especialista em Management e Desenvolvimento Pessoal
www.franciscoalcaide.com | @falcaide

Se fosse necessário resumir o sucesso em uma palavra, essa palavra seria autorresponsabilidade. As pessoas de sucesso são pessoas centradas no “o que vou fazer” e as pessoas de “não–sucesso” estão focadas no que irá acontecer. E é assim porque, se a gente deixa sua vida depender de que acabe a crise, ou de que certas pessoas tomem algumas decisões, o tempo pode passar e continuar na mesma situação. Não há nada pior do que a esperança passiva, querer que as coisas mudem pelo simples decorrer do tempo.

As pessoas autorresponsáveis são pessoas fortemente voltadas às soluções e, as pessoas não-autorresponsáveis, são pessoas fortemente orientadas às desculpas; e o grande perigo de procurar desculpas é que, se sempre as procuramos, sempre as encontraremos. Não é difícil encontrar alguma coisa ou alguém em quem jogar culpa porque nossa vida não é como gostaríamos que fosse.

O ser humano tem uma facilidade incrível para explicar o sucesso devido a causas próprias (sou bom, trabalhei, levo muito tempo nisso…) e, o fracasso, a causas alheias (a crise, os mercados financeiros, o governo, a educação…). É um olhar assimétrico da realidade.

Por que muita gente atribui o fechamento de seus negócios à crise e ninguém atribui seus sucessos ao crescimento econômico? Realmente foi a crise a causa do fechamento das empresas ou a incapacidade para prever onde estavam as tendências, ou o excesso de relaxamento, ou a falta de flexibilidade para adaptar-se, ou o excesso de custos em épocas de vacas gordas?

A crise é só um sintoma (resultado), mas não a causa (pessoa). Você não se afogará se cair na água (efeito), mas porque não saberá nadar (causa). Vivemos em um mundo de causas e efeitos, e todo efeito (resultado) é o produto de uma causa (pessoa). Veja alguns exemplos:

–      A falta de dinheiro que uma pessoa ganha (efeito = resultado) não é o problema, isso é só um sintoma do verdadeiro problema: sua incapacidade de gerar receitas (causa = pessoa).

–      A falta de contatos que uma pessoa tem (efeito = resultado) não é o problema, isso é só um sintoma do verdadeiro problema: sua incapacidade de desenvolver e estreitar relações.

–      A má saúde de uma pessoa (efeito = resultado) não é o problema, isso é só um sintoma do verdadeiro problema: sua escassa atenção aos hábitos de vida.

Em definitiva, um é o problema mas também é a solução. Para alcançar o sucesso, o primeiro é encarregar-se de si mesmo. O sucesso parte de investir no próprio desenvolvimento pessoal: aprender mais para ganhar mais. Seu desenvolvimento pessoal é seu destino. E quanto mais você investir em você mesmo, melhores oportunidades aparecerão em sua vida. Quanto mais você estudar, quanto mais você se formar, quanto mais você cultivar sua rede de contatos, quanto mais experiência você terá… melhores coisas acontecerão. O desenvolvimento pessoal não é outra coisa que aumentar as opções de vida, esticar possibilidades, ou de maneira resumida, incrementar as probabilidades de sucesso. Como diz Brian Tracy, um dos autores incluídos em Aprendiendo de los mejores (Alenta, 7ª edição em espanhol): «O desenvolvimento pessoal é um trampolim para a excelência pessoal. Permanente e contínuo, assegura que não há limite ao que você possa conseguir».

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *