O que diría um grafólogo da minha letra?

Alguns anúncios de trabalho solicitam, além do CV, uma carta manuscrita e assinada. Nesse caso é bem provável que, no processo de seleção, exista a intervenção de um grafólogo.

A grafologia é uma pseudociência que pretende descrever a personalidade, aptidões, atitudes, motivações, emoções e, inclusive, patologias a partir da análise da escrita.

Abate Flandrin é considerado o pai da grafologia moderna, pois estabeleceu as primeiras regras.

São várias as áreas de aplicação da grafologia, como por exemplo a saúde (grafoterapia), a justiça (perícia caligráfica), a docência (avaliação e orientação de vocações) ou Recursos Humanos (seleção de pessoal).

Nesse caso, mesmo que possamos adotar uma postura de ceticismo no relativo à validade das provas e sua análise, talvez seja conveniente conhecer alguns dos elementos que são considerados e sua interpretação.

Elementos a avaliar

A forma da letra:
Redonda conciliador
Angulosa enérgico, disciplinado

O tamanho da letra:
– Muito pequena conceito pobre de si próprio
– Muito grande necessidade de chamar a atenção

Linhas tortas demostram o estado anímico da pessoa
– Para cima otimista
– Para baixo pessimista

A coesão das letras
– Unidas predomínio de lógica, habilidades sociais
– Separadas predomínio da intuição

A distribuição espacial do texto dentro da página. Denota a capacidade de organização da pessoa

A pressão da escrita dará uma ideia da determinação e o compromisso da pessoa

Os espaços em branco entre palavras, linhas e margens darão uma visão sobre a predisposição da pessoa a aceitar ou recusar as normas estabelecidas

É preciso destacar o tema da assinatura. Mesmo mantendo vivo o ceticismo sobre esta pseudociência, é difícil encontrar uma coisa que com tão pouco possa dizer tanto. Porém, trataremos este tema em um futuro post.
Ramón Rodríguez Lago
Dpto Organização Recursos Humanos ACCIONA S.A.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *